Lisboa |
Inauguração do Centro Pastoral da Paróquia de Cascais
Uma (nova) proposta para a comunidade
<<
1/
>>
Imagem

Um espaço para semear e dar frutos. Uma casa sonhada há muito tempo onde a vida da paróquia, para além dos sacramentos, pudesse acontecer, com espaços para formação, partilha e encontro. O sonho cumpriu-se no dia 28 de junho, com a inauguração do novo Centro Pastoral da Paróquia de Cascais.

 

A cerimónia contou com a presença do Cardeal-Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, do presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras, e de dezenas de paroquianos que quiseram fazer festa numa casa que é sua. “Uma casa para ‘almar’”, comentava o padre Nuno Coelho com alguns paroquianos, antes de a cerimónia ter início, lembrando que está construído o edifício, mas agora é preciso dar alma ao espaço. “Numa paróquia como a nossa, com tantas celebrações e festas (casamentos, batismos, etc), as pessoas estavam ligadas pelos sacramentos – que é o mais importante – mas não havia espaço, nem tempo, para construir realmente a comunidade”. Aqui, acrescenta o sacerdote visivelmente entusiasmado que agora vê concretizar-se, vai poder acontecer tudo ao mesmo tempo: atendimento, direção espiritual, serviço de cartório, catequese, formação, encontros de grupos, ou simplesmente o convívio entre pessoas que vieram passar a tarde, tomar um chá e conversar.

O pároco de Cascais explica ainda que, se até aqui, a pastoral da Igreja de Cascais era sobretudo uma ‘resposta’ àqueles que a procuravam, ao que pediam e perguntavam, o que se pretende agora é que a Igreja possa ter ‘uma proposta’ para a comunidade. Uma inspiração que vai ao encontro do mote do Ano Missionário proposto pela Conferência Episcopal Portuguesa ‘Todos, tudo e sempre em missão’, e que ficará para sempre gravado (e inscrito na placa de inauguração) como lema desta casa.

A necessidade deste espaço há muito tempo que era sentida pela paróquia, pois as instalações da igreja não permitiam acolher todas as atividades da vida pastoral, desde a catequese às reuniões e encontros. O próprio pároco atendia e confessava as pessoas no banco do jardim em frente à igreja matriz. “Desde que eu vim para cá [2008] que este espaço era uma urgência, em especial para as catequeses que decorreram sempre em salas emprestadas ou até na casa das pessoas”, refere o padre Nuno Coelho.

Começou a falar-se do projeto nas instalações que agora se inauguraram em 2015 e previu-se que, em 2017, a creche da Santa Casa da Misericórdia de Cascais, que ali funcionava, pudesse passar para outras instalações. A obra arrancou em fevereiro de 2018, mas um ano depois especificidades técnicas obrigaram a tomar decisões importantes que fizeram estender o tempo.

O espaço situa-se nas traseiras da Igreja Paroquial de Cascais, onde estava situada a antiga Creche José Luís, erguida nos anos 20 pelos Condes de Monte Real em honra do seu filho falecido em criança, de nome José Luís. O local é da Câmara Municipal de Cascais, estando o usufruto confiado à paróquia. Possui 600 metros quadrados de área útil, dividido por três andares, contando com seis salas de catequese, gabinetes para os sacerdotes e cartório, bem como um piso inferior com um salão grande. As salas têm nome de fruta porque são os frutos que Nosso Senhor prometeu a Israel quando chegasse à Terra Prometida: trigo, tâmara, cevada, uva, figo, romã, azeitona (Deuteronómio 8, 8). O exterior é marcado por um jardim, com uma romãzeira.

 

Animação do novo espaço traz desafio à paróquia

“Vai ser um desafio para a paróquia, pois a única possibilidade de isto existir passa pelo envolvimento das pessoas”, acrescenta o pároco de Cascais, confiante de que os paroquianos se envolverão e apropriarão facilmente deste novo lugar. Os comentários que se iam escutando à margem da inauguração apontavam para isso: ‘Parabéns a nós’, comentavam alguns paroquianos entre si, sublinhando que o novo centro era uma conquista de todos. Mas também, claramente, uma responsabilidade.

Já nas palavras que dirigiu aos presentes na cerimónia de inauguração, o pároco de Cascais acrescentou: “Logo se vê o que será esta obra. Pois a verdadeira obra é o que Nosso Senhor faz na vida e no coração de cada um”.

As palavras de D. Manuel Clemente no momento de inaugurar o espaço foram de incentivo à comunidade, lembrando que “as obras trabalham sobretudo quem as faz”. E acrescentou: “A ação realiza a pessoa e realiza-nos como pessoas”.

Durante a cerimónia, o Cardeal-Patriarca de Lisboa e o padre Nuno Coelho lembraram ainda a memória do padre Raul Cassis Cardoso (pároco de Cascais durante 38 anos, falecido em janeiro passado) e a “alegria no céu” por um dia como aquele. “Este dia 28 de sonho foi idealizado por Nosso Senhor. Isto porque dia 28 de junho é a véspera da Solenidade de São Pedro e São Paulo e a véspera de o senhor Padre Raul completar 67 anos de sacerdócio e eu de completar 17 (50 anos de diferença)”, lembrou o atual pároco.

O Centro Pastoral da Paróquia de Cascais fica situado na Rua Luís Xavier Palmeirim, nº 4, em Cascais.

texto por Rita Carvalho; fotos por Mariana Correa d’Oliveira
Na Tua Palavra
Não nos separemos d’Ele!
por D. Nuno Brás
A OPINIÃO DE
P. Nuno Amador
Joker, de Todd Phillips, é um filme sublime e perturbador. Sublime na lentidão certa com que nos dá...
ver [+]

Isilda Pegado
1. Na Universidade diziam-nos que quando entra a Justiça, já não há Família. E por isso, o chamado...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES