Especiais |
Testemunho para o Jornal VOZ DA VERDADE por ocasião da Semana dos Seminários 2019
“Não tenham medo de partir à descoberta da vossa vocação, daquilo que Deus quer de vós!”
<<
1/
>>
Imagem

“Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado no posto de cobrança, e disse-lhe: «Segue-me!». E ele levantou-se e seguiu-O. (Mt 9, 9)

Sou o Nuno Alexandre Caetano Vicente, tenho 35 anos de idade, nasci e sempre vivi na Paróquia de São João das Lampas, em plena zona rural do concelho de Sintra. No ano de 2016 entrei para o ano propedêutico no Seminário Patriarcal de São José de Caparide, em 2017 entrei no Seminário Maior de Cristo-Rei dos Olivais onde, neste momento, me encontro a frequentar o 3ºano, integrando o Curso de São Francisco e Santa Jacinta Marto.

Antes do Seminário, em 2008, conclui o Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas. Do ponto de vista laboral, trabalhei durante nove anos na Farmácia Nave Ribeiro em Montelavar, no concelho de Sintra. Um primeiro ano como estagiário, depois como Farmacêutico até 2010, passando nesse mesmo ano a Farmacêutico-Adjunto, e sendo o Diretor Técnico, desde 2012 até à entrada no Seminário. Profissionalmente estava tudo muito bem, aliás como qualquer jovem desejaria! Pois aos 28 anos, quase que já estava no topo da carreira.

Certamente estarão a colocar a questão: “E Deus, e a questão do sacerdócio no meio disso tudo?”. Pois bem, eu nasci numa família de raiz católica não praticante, onde as referências à questão de Deus se alicerçavam essencialmente na piedade popular e as idas à igreja se resumiam a casamentos, baptizados, funerais e à festa da paróquia. Mas nesses momentos sentia algo em mim que me seduzia, que me captava a atenção e interesse, desenvolvendo o maior respeito e ao mesmo tempo curiosidade pela figura do padre. Mas havia uma pequena grande questão por resolver: - eu não era baptizado! Por certas razões não fui baptizado em criança, reservando os meus pais essa decisão para mim, para quando o pretendesse.

Tive uma adolescência normal, afastada da Igreja, e aos dezoito anos iniciou-se o meu processo de aproximação à Igreja, tendo sido convidado para colaborar nas festas da paróquia, e aproximando-me do pároco de então (um jovem que acabara de chegar à paróquia). Neste momento, percebi que existiam padres novos e não apenas os mais avançados na idade que ia conhecendo. E mais, percebi que o padre, genericamente, era um homem normal que entregava a sua vida ao serviço de Jesus Cristo pelo sacerdócio, e não um ser sobrenatural, com o qual eu não tinha nenhuma semelhança.

Em certa altura, combinei com este padre tratarmos da preparação para a Iniciação Cristã, mas como eu não queria comprometer-me, fui fugindo à questão e o padre acabou por sair da paróquia. Outros dois se lhe seguiram. A este último, e ainda o atual, de forma agradecida, devo o que sou e onde estou hoje. Por este, fui abordado (não me deixando fugir) para iniciar a preparação para a Iniciação Cristã, que ocorreu em 2013. Desde aí tornei-me bastante próximo do pároco, tornei-me leitor e membro do coro, e dei novamente espaço às inquietações vocacionais que acabei por partilhar com ele. Embora com muita resistência minha, e sem pressões algumas do pároco, reconheci que Deus me chamava a segui-lo mais de perto, que me pedia mais. Destaco que me ajudaram bastante as visitas dos seminaristas à paróquia, e os seus testemunhos por ocasião da Semana dos Seminários que agora assinalamos. Muito lhes agradeço! Ajudaram-me a querer partir à descoberta do que Deus queria para mim e daquilo que eu poderei chegar a ser para Deus. E assim comecei a ser acompanhado pelo Pré-Seminário e pelo Diretor Espiritual.

Tinha tudo para não ter seguido este caminho. Mas… Não foi num posto de cobrança, como a Mateus, mas sim no balcão da farmácia e na secretária do gabinete que o Senhor me disse para O seguir. Eu levantei-me e segui-O mais de perto no sentido de tentar responder às minhas inquietações e perceber se o projeto de Deus para mim passa pelo sacerdócio, respostas essas que o tempo de Seminário me está a ajudar a descobrir. A todos os jovens e menos jovens, digo-vos que não tenham medo de partir à descoberta da vossa vocação, daquilo que Deus quer de vós!

O Cardeal-Patriarca D. António Ribeiro dizia que se soubermos rezar, se soubermos chamar, se soubermos responder, não faltarão à Igreja as vocações de que precisa. Saibamos então todos os dias rezar ao Senhor pelas vocações, chamar em nome do Senhor e responder ao Senhor!

 

Nuno Vicente,

Seminarista do Patriarcado de Lisboa

 

___________________


Semana dos Seminários

Termina este Domingo, dia 17 de novembro, a Semana de oração pelos Seminários. A Igreja, através da Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios, convida a rezar, de modo especial, por estas casas de formação, pelos seus alunos, formadores e benfeitores.

 

Oração

Senhor Jesus Cristo, fonte de vida nova,

Tu que não olhas ao que somos

mas ao que poderemos chegar a ser,

abre caminhos de construção do Reino,

ajudando-nos a ser mansos e humildes de coração.

 

Tu que vives e revelas o imenso amor do Pai,

nós te pedimos que continues

a despertar o coração dos jovens

para que aceitem o desafio de Te seguir,

caminhando em liberdade, sem medos e resistências,

e, animados pelo Espírito Santo,

se façam ao largo e lancem as redes para a pesca.

 

Por intercessão da Virgem Maria e de S. José,

nós Vos pedimos pelos Seminários, pelos seminaristas

e por todos os jovens a quem chamas e envias.

Fazei que neles brotem sinais de esperança,

sementes de entrega e verdadeiro serviço.

 

Concede-nos, pela graça do batismo,

o dom da escuta da Tua voz

e da resposta generosa,

colaborando na edificação do Reino de Deus.

 

Ámen.

 

___________________


Ordenações de Diácono, nos Jerónimos

O Cardeal-Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, vai presidir à Ordenação Diaconal de cinco candidatos da diocese, alunos do Seminário dos Olivais e do Seminário ‘Redemptoris Mater’, em Caneças: Artur Delgado, Eduardo López, Gonzalo Palacios, Mendo Ataíde e Tomás Castel-Branco. A celebração, na Igreja de Santa Maria de Belém, no Mosteiros dos Jerónimos, vai ter lugar no dia 1 de dezembro, Domingo, às 15h30.

A OPINIÃO DE
António Bagão Félix
Há poucos meses, a actual legislatura começou com a excitada prioridade dada à eutanásia travestida de morte clinicamente assistida.
ver [+]

P. Manuel Barbosa, scj
Na normalidade possível da situação de pandemia que vivemos e das férias para quem delas puder usufruir,...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES