Lisboa |
Cardeal-Patriarca de Lisboa celebra Missa com a Pastoral da Deficiência
“Façamos Advento para termos Natal a sério”
<<
1/
>>
Imagem

Na celebração do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, no Domingo I do Advento, o Cardeal-Patriarca de Lisboa lembrou que para ter “Natal a sério” é necessário “olhar bem à nossa volta”. Na Paróquia de Nova Oeiras, D. Manuel Clemente sublinhou ainda que é no presépio e na Cruz que se encontram os mais frágeis.

“Se nós queremos celebrar verdadeiramente o Natal de Jesus, e não nos distrair com coisas que não têm nada a ver com isso, então reparemos que o presépio e a Cruz continuam em cada irmão, em especial naqueles mais dependentes, ou seja, que mais têm para oferecer”, afirmou o Cardeal-Patriarca, na Missa que celebrou por ocasião do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência (3 de dezembro), na Paróquia de Nova Oeiras, na manhã do passado dia 1 de dezembro. “Porque é Jesus, na Cruz, na dependência absoluta que ali está, que nos oferece tudo: oferece a sua vida e começa assim o Reino. O Reino de Jesus começa à volta deste trono que é a sua Cruz. E nunca mais deixa de ser assim. E é exatamente por isso que Ele mais oferece a quem mais O encontra, e O encontra precisamente aí, na fragilidade dos nossos irmãos. Aí é que se encontra realmente Jesus”, acrescentou.

 

“Advento pode ser todos os dias”

Esta celebração no Centro Comunitário de Nova Oeiras, que teve “uma participação tão especial dos nossos irmãos com alguma deficiência”, como apontou D. Manuel Clemente, foi organizada pelo Serviço Pastoral a Pessoas com Deficiência do Patriarcado de Lisboa, em colaboração com a APCL (Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa) - Centro Nuno Belmar da Costa, e teve lugar no Domingo I do Advento, o tempo litúrgico de preparação para o Natal. “Advento pode ser todos os dias, na atenção que nós tenhamos a esta vinda de Cristo, precisamente onde Ele mais se apresenta. Porque Ele, há dois mil anos, também não veio forte e poderoso, e vamos lembrar isso no Natal. Onde é que Ele nasce? Por mais que decoremos os nossos Natais, aquilo é um estábulo, é uma manjedoura. Tinha a sua Mãe, teve José que o adotou e que tomou conta d’Ele e de sua Mãe”, recordou o Cardeal-Patriarca. Neste sentido, “se quisermos ter Natal a sério, olhemos bem à nossa volta”. “Quer nas instituições em que muitos estão, quer nas casas em que muitos permanecem, quer na vida, onde não faltam dependências, onde Jesus está para nos oferecer muito mais do que nós possamos oferecer a Ele”, desafiou.

Neste tempo de Advento, Jesus “oferece-se”, manifestou ainda D. Manuel Clemente. “A quem mais pede, é a quem Ele mais dá. E quando nós reconhecemos isto, começa o Reino. Quem está nesta frente sabe que é assim e conta histórias magníficas, as histórias do Reino de Deus, o Evangelho de Cristo continuado e o seu Advento permanente. Agradeçamos, reconheçamos, colaboremos, façamos Advento para termos Natal a sério”, exortou o Cardeal-Patriarca de Lisboa, na celebração por ocasião do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência.

texto e fotos por Diogo Paiva Brandão
A OPINIÃO DE
P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Depois de tudo, ou quase, ter sido dito sobre a eutanásia, é preciso regressar ao essencial: a eutanásia é uma licença para matar.
ver [+]

Guilherme d'Oliveira Martins
Em 1965, quando a revista Brotéria passou a assumir-se como uma revista de cultura, inspirada na “grande...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES