Entrevistas |
Madrid?2011: ?JMJ querem compartilhar e celebrar a fé em Cristo? (com video)
<<
1/
>>
Imagem
Maria Caetano é administradora e tradutora oficial da página luso-brasileira das Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ) no Facebook. 

Contrariamente ao que seria de esperar, esta paroquiana do Estoril nunca foi a nenhumas jornadas apesar de “andar a falar nisso há imenso tempo”. Em entrevista à VOZ DA VERDADE, Maria Caetano mostra o que se pode encontrar na página do Facebook das JMJ (http://www.facebook.com/jornadamundialdajuventude).


Depois de Sidney’2008, a próxima Jornada Mundial da Juventude serão na capital espanhola Madrid, em 2011. Qual a sua ligação com esta iniciativa criada pelo Papa João Paulo II?

Com muita pena minha nunca fui a nenhumas jornadas! Apesar de andar a falar nisso há imenso tempo, pelos mais diversos motivos nunca consegui ir. Na altura das jornadas andava a sair de um grupo de jovens para entrar noutro. Confesso que nunca tive muita sorte com os grupos de jovens por onde passei… frequentei muitos, mas todos eles acabaram, de uma forma ou de outra. Mantive-me sempre muito mais ligada ao movimento juvenil salesiano e participava em nome individual ou então com uma ou duas amigas. Em relação às jornadas, comecei a pensar mais seriamente há uns anos atrás, mas Sidney era muito, muito longe. Essa dificuldade esteve patente em diversas pessoas que também não foram por causa da distância e do preço. Mas para Madrid, que é aqui ao lado, não vou perder! Se bem que estou na mesma situação: não tenho idade para ir sozinha, não sou animadora de nenhum grupo, os escuteiros do Estoril não vão porque têm um Jamboree na mesma altura… se calhar ainda me vou dar como voluntária directamente à organização!

 

Qual é a importância para a Igreja destas jornadas com jovens?

Sem dúvida que é compartilhar e celebrar esta fé em Cristo. Essa é a mensagem que é passada! Além de celebrar, os jovens são também convidados a meditar na mensagem que o Papa escolhe para cada jornada e que este ano é “Enraizados e edificados em Cristo, firmes na Fé”.

Entre os dias 16 e 21 de Agosto de 2011, os jovens de todas as nações e raças estarão unidos! Cheios de esperança de um mundo novo, cheio de paz e unidade e a contribuir para a Igreja do novo milénio, uma Igreja que está viva!

 

É tradutora e administradora do perfil das JMJ no Facebook. Como surgiu esta ideia?

A ideia que eu retive e que me foi transmitida directamente de Madrid, através da coordenadora dos voluntários, Cristina Del Campo, é que o Facebook é a melhor forma de chegar aos jovens. Temos de estar nestas redes sociais, que é onde os jovens estão em grande escala! Não estamos só no Facebook mas também noutras redes sociais como o Twitter, por exemplo. O objectivo é mesmo esse: atingir os jovens! O cardeal de Madrid, responsável pela organização destas jornadas, referiu isso mesmo: que estes perfis nas redes sociais foram criados para chegar mais facilmente aos jovens.

Quanto a mim, isto apareceu porque eu tenho o meu perfil pessoal no Facebook e de repente apareceu-me uma página em que alguém pedia voluntários. E eu perguntei se de facto tinham vontade e se não havia ninguém, que não me importava. Quis saber antes o que é que isto implicava em termos de tempo, porque estou um pouco limitada, mas face ao que me responderam, decidi arriscar. E fui aceite, se calhar na perspectiva de eu ser mais velha e terem achado que era responsável…

 

Em que consiste esta página das JMJ para os portugueses e brasileiros? E de que forma é que, como administradora, actualiza a página?

Eu não sou a única administradora. Depois de mim juntou-se uma rapariga da República Checa que fez Erasmus no Porto e conhece a nossa língua! Nos primeiros meses trabalhámos sozinhas, mas depois achámos necessário haver também um administrador do outro lado do Atlântico, porque não conseguíamos fazer contactos no Brasil. Entretanto apareceu outra jovem e agora estamos as três a trabalhar e a divulgar o perfil.

Nós temos liberdade para actualizar o perfil, vamos colocando fóruns, temas em discussão, publicamos notícias, etc. Tenho também estado em contacto com o Departamento Nacional da Pastoral Juvenil, mais propriamente com o seu director, padre Pablo Lima, que é uma das minhas fontes para notícias e envio-lhe também informações que acho que sejam mais relevantes para o departamento para incentivar os jovens a ir e a participar. Há coisas que devem ser feitas antecipadamente, como por exemplo participar no Festival Jovem, que tem prazos de inscrição e que terminam já no próximo dia 1 de Abril. A maior preocupação agora é a de divulgar o nosso perfil e dessa forma gerar maior interacção entre os membros. Já o fiz com os salesianos a nível nacional, vou pedir também ao padre Pablo Lima que coloque um link directo para a página. Isto para além dos vários e-mails em massa que tenho enviado a pedir membros.

 

Como tem sido a aceitação por parte dos jovens deste novo motor de informação e de esclarecimento de dúvidas?

A interacção é maioritariamente entre jovens brasileiros. Os portugueses aderem e são muito atentos mas não comunicam tanto. Os brasileiros às tantas até falam entre eles porque se conhecem ou já foram às mesmas jornadas. Às vezes surge um jovem com uma dúvida que é rapidamente esclarecida por outro jovem mais ‘experiente’ nestas andanças das JMJ.

Essa interacção entre os membros é de facto um dos factores mais importantes nesta rede social: nós pusemos em discussão, no fórum, quanto iriam custar estas jornadas e prontamente vários jovens vieram partilhar as suas experiências e todos concordavam que devemos ter como base o preço das jornadas de Colónia, em 2005. Outro tema que foi para discussão foram as diversas formas de angariar fundos para a participação, sobretudo os brasileiros que vêm do outro lado do Atlântico.

 

A cerca de um ano e meio da Jornada Mundial da Juventude, que caminho este perfil no Facebook vai empreender até à realização da jornada?

Em termos de dinamização através do Facebook, houve um pedido de Espanha para que cada país enviasse uma bandeira que será hasteada nas ruas de Madrid na altura das jornadas. No Natal, solicitámos aos fãs que enviassem fotografias e imagens dos presépios de cada cidade; agora pedimos que se pronunciem quanto aos objectos que devem integrar a mochila do peregrino.

Aconteceu outra coisa engraçada a semana passada. O padre Pablo Lima disse que vinha a Fátima neste fim-de-semana um cardeal espanhol, para juntamente com o Departamento da Pastoral Juvenil dinamizar Portugal e os jovens portugueses para participarem nestas jornadas, uma vez que estamos ‘aqui ao lado’. Depois de termos colocado esta notícia no Facebook, o feedback que tivemos do Brasil foi logo: “quando é que alguém vem cá fazer o mesmo?”. Eles estão muito entusiasmados para participarem.

 

Esta JMJ realiza-se a pouco mais de 600 quilómetros de Lisboa. Que convite quer deixar aos jovens da diocese para participarem neste encontro com o Papa?

Quem já foi a alguma jornada de certeza que está motivado o suficiente para ir e isso nota-se pela forma como comentam no perfil do Facebook e como se motivam uns aos outros. Isso é nítido! Mesmo os poucos portugueses que comentavam diziam o mesmo. Lembro-me de uma conversa entre duas raparigas que se conheciam e diziam: ‘Tu vais! Eu vou, por isso tu também vais’.

Temos a vantagem de ser mesmo aqui ao lado e o facto de termos as notícias diariamente e quase no momento, já não há a desculpa de ‘ai, deixei passar a data da inscrição, porque não sabia’.

Sobretudo é uma experiência única, uma experiência única de viver a nossa fé em Cristo e em comunidade!



PERFIL

Consultora jurídica numa sociedade de advogados em Lisboa, Maria Caetano reside no Estoril onde participa activamente na paróquia. “No ano passado fui animadora de um grupo de jovens da paróquia mas o grupo entretanto acabou porque a paróquia construiu a igreja da Senhora da Boa Nova e eles foram todos inseridos nos respectivos anos de catequese para depois continuarem como grupo de jovens mas desta vez já envolvidos com os jovens da nova igreja”, conta. Neste momento, na paróquia do Estoril é leitora e está ligada aos escuteiros do Estoril, por intermédio dos filhos, onde já pertenceu à comissão permanente de pais. Desde muito nova que esteve ligada ao movimento juvenil salesiano.


O que são as Jornadas Mundiais da Juventude?

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é um evento internacional, organizado pela Igreja Católica, que reúne jovens de todo o mundo, católicos e de outras confissões. É presidida pelo Santo Padre e celebra-se de três em três anos.

A JMJ nasceu em 1984, mais concretamente no Domingo de Ramos, com João Paulo II a convidar a juventude a celebrar com ele o Ano da Redenção. A resposta que o Papa polaco recebeu dos jovens foi de grande entusiasmo e superou todas as expectativas. Em 1985, o Papa escreve uma carta dirigida aos jovens de todo o mundo e mais tarde lança a aventura da Jornada Mundial da Juventude.


Jornada Mundial da Juventude Madrid’2011

Facebook: http://www.facebook.com/jornadamundialdajuventude

Site oficial: www.jmj2011madrid.com

 

João Carita
A OPINIÃO DE
Guilherme d'Oliveira Martins
A encíclica «Fratelli tutti» (FT) é uma corajosa invocação de S. Francisco de Assis, a lembrar-nos que...
ver [+]

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
Deo gratias! No passado dia 10 de Outubro, foi beatificado Carlo Acutis, um jovem italiano de 15 anos, falecido em 2006.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES