Lisboa |
apagar
Tempo de “novos desafios” apela a “dar a vida” pelos que precisam

O presidente da direção da Federação Solicitude, José António Parente, considera que o contexto atual de pandemia “tem sido uma oportunidade” para as instituições de solidariedade irem “ao mais profundo, às origens” da razão de existirem.

“Quem somos e para que existimos?”, questionou o responsável, durante a assembleia geral da Federação Solicitude, que decorreu dia 26 de junho, no Centro Pastoral de Torres Vedras. “Vivemos um tempo de novos desafios que as famílias nos lançam, e que nos obrigam a repensar novas soluções. Um apelo a darmos a vida no dia-a-dia das Instituições, a favor dos que de nós precisam. Muitas pessoas das nossas comunidades deixaram de ser uma ‘estatística’ e, pelas piores razões – fome e necessidade –, passaram a ter um rosto nosso conhecido!”, referiu, sublinhando a preocupação e “angústia” das instituições com os custos fixos avultados, que já existiam, e a que se veio juntar os custos com os equipamentos de proteção individual.

Este encontro, onde foi apresentado e aprovado o Relatório de Atividades e Contas referente a 2019, contou ainda com a presença do Cardeal-Patriarca de Lisboa que, na intervenção inicial, deixou “palavras de reconhecimento e de estímulo pelo trabalho desenvolvido pelas instituições, nesta fase difícil de pandemia”, anunciou a organização em comunicado. No encontro, D. Manuel Clemente teve também “palavras de esperança” a todos os presentes.

 

Informar

O presidente da Mesa da Assembleia Geral, cónego Francisco Crespo, informou os 32 associados representados das dificuldades das famílias que vivem na cidade de Lisboa, e que levaram a um aumento das refeições servidas por algumas instituições e a constatar “dificuldades” na entrega de alimentos por parte do Banco Alimentar Contra a Fome. Foi também assinalada a iniciativa da Cáritas Diocesana de Lisboa, que disponibiliza “tickets” de refeição.

No final do encontro, o Bispo Auxiliar de Lisboa D. Américo Aguiar, que acompanha a pastoral sociocaritativa na diocese, dirigiu-se aos associados para frisar a “necessidade de as Instituições darem informação cabal da sua realidade”. “A colaboração e articulação nesta matéria também é um serviço que prestamos”, salientou.

A OPINIÃO DE
António Bagão Félix
Há poucos meses, a actual legislatura começou com a excitada prioridade dada à eutanásia travestida de morte clinicamente assistida.
ver [+]

P. Manuel Barbosa, scj
Na normalidade possível da situação de pandemia que vivemos e das férias para quem delas puder usufruir,...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES