Artigos |
Isilda Pegado
FRATELLI TUTTI e a Pandemia

1. É inegável que a Pandemia causada pelo COVID-19 veio alterar muito do que se pensava do mundo, da nossa forma de controlar e definir a Vida, da relação entre as pessoas e, mais uma infindável lista de áreas onde… muito pode mudar.

2. O Homem que se considerava dono da Vida, da natureza, da técnica e por isso tudo parecia obedecer-lhe, não pode hoje deixar de se questionar.

As circunstâncias em que se desenvolve a nossa vida, quando ignoradas, traduzem-se num lavrar na mentira.

3. Porém, a falta à Verdade parece ter-se tornado em alguns meios numa forma comum de viver. Quando se vive na ilusão e na mentira a vida em Sociedade torna-se muito difícil. E a Vida de cada um torna-se um verdadeiro drama porque é uma constante luta com “moinhos de vento”. Quem o faz, carrega o mundo, e por isso é escravo de uma ilusão. A ilusão de ser um deus.

4. Hoje em muitas circunstâncias deparamo-nos com gente e políticas que criam facilmente esta ilusão, esta falta à Verdade. Esta negação da realidade. Tornando-se facilmente apetecível para quem não esteja mais atento.

Tudo se joga em volta de um individualismo que não liberta, mas escraviza.

5. A Pandemia pode trazer uma nova abertura à Verdade, à realidade. Damo-nos conta de que não somos deuses. Dependemos em larga medida do que nos rodeia e do que nos é dado. Há verdades que devemos respeitar.

E só assim seremos capazes de caminhar em Sociedade na construção do bem comum.

6. O Papa Francisco acaba de publicar a Encíclica “Fratelli Tutti” que, entre outros aspectos, trata esta dimensão do nosso mundo com muito realismo. Diz o Papa: “o individualismo não nos torna mais livres, mais irmãos. A mera soma dos interesses individuais não é capaz de gerar um mundo melhor para toda a humanidade” (ponto 105)

Só na fraternidade seremos capazes de viver melhor.

A Fraternidade (todos irmãos) implica também que somos todos filhos de Deus. Um Deus Criador. Que nos deu um mundo maravilhoso para viver, e que tantas vezes negamos e destruímos.

7. Em boa hora o Papa Francisco quer recordar-nos quão bom é voltar a olhar para a realidade como uma dádiva. É preciso voltar a ver a Vida Humana, cada um de nós, como filho de Deus Criador, com Dignidade e Valor que não depende de qualquer qualificação jurídica.

8. Quando se discute a Eutanásia ou o Aborto, tratamos de vidas que têm dignidade, que foram dadas e que não podem depender da Engenharia jurídica, médica ou outra para ter direito a viver. A Vida vive por si. Quem pode pôr termo à Vida de um irmão?

9. A Sociedade, a Lei não se podem definir pela morte, pelo individualismo ou por interesses exclusivamente pessoais. Há um todo que é mais do que a soma das partes.

O mundo é Fraternidade (temos um Pai comum). A Encíclica “Fratelli Tutti” é uma belíssima resposta e proposta, para as várias Pandemias.