Lisboa |
Missa de Quarta-feira de Cinzas na Sé de Lisboa
“Uma Quaresma que nos leve à Páscoa”
<<
1/
>>
Imagem
Video

O Cardeal-Patriarca destacou que somente através do “jejum, esmola e oração” é possível viver uma Quaresma que “levará à Páscoa”. D. Manuel Clemente falava na Missa de Quarta-feira de Cinzas, na Sé de Lisboa.

“Jejum, esmola e oração, ganham aqui o sentido perfeito. No alimento essencial que Deus é e oferece, relativizando tudo o mais; na partilha com que cada um garante o necessário a todos; na oração que nos mantém na verdade absoluta de sermos de Deus e para Deus. É assim, só assim, que esta Quaresma nos levará à Páscoa!”, garantiu o Cardeal-Patriarca, no dia 17 de fevereiro.

Nesta celebração sem a presença de fiéis, e que foi transmitida em direto pela internet, D. Manuel Clemente sublinhou que “os motivos quaresmais do jejum, da esmola e da oração, não são meros exercícios ascéticos, aliás presentes na religiosidade em geral e até além desta”. “Quando o próprio Jesus nos recomenda discrição em tudo isso, quer alertar-nos para a exterioridade que nada resolve e geralmente despista. Sobriedade e partilha, autenticamente vividas, desprendem-nos de gulas e cobiças que não nos educam no gosto de Deus, nem nos libertam de egoísmos fatais. Um e outro, jejum e esmola, levam-nos à oração cristã, como o ‘Pai Nosso’ a ensina”, frisou.

 

 

A inviolabilidade da vida humana

Na homilia da Missa de Quarta-Feira de Cinzas, que é também a Mensagem para a Quaresma de 2021, o Cardeal-Patriarca salientou, ainda, a importância de defesa da vida. “Crer em Deus criador significa, neste tempo que nos cabe e justamente preocupa, estar sempre do lado da vida de todos e de cada um, reconhecendo-lhe o valor absoluto que detém do próprio Deus. E protegendo-a em todo o seu percurso, do ventre materno à morte natural”, destacou. “A inviolabilidade da vida humana é a única garantia da sua defesa, face a qualquer exceção que, mesmo legalmente autorizada, rapidamente deslizaria para a respetiva negação. Nesta mesma Quaresma e na sociedade que integramos, a conversão a Deus Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra, exige-nos atitudes firmes neste ponto, face a eventuais disposições legais e quanto à consciência que as examina e supera”, acrescentou, numa clara referência à legalização da eutanásia no nosso país.

 

A OPINIÃO DE
Isilda Pegado
1. Se há característica que identifica o Cristianismo e os Cristãos, desde há 2000 anos, é o seu interesse pela vida Pública.
ver [+]

Tony Neves
O Papa Francisco, na Mensagem para o Dia Mundial da Paz, apresenta os três caminhos que conduzem à...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES