Roma |
Papa Francisco recorda visita ao Iraque
“Rezemos para que o caminho da fraternidade e da paz persista no Iraque”
<<
1/
>>
Imagem
Video

O Papa Francisco agradeceu “a Deus” e “a todos aqueles que tornaram possível” a viagem apostólica ao Iraque, de 5 a 8 de março, e pediu orações para que a “fraternidade” e a “paz” se mantenham “no Iraque, no Médio Oriente e no mundo inteiro”.

“Nestes últimos dias, o Senhor concedeu-me a oportunidade de visitar o Iraque, realizando assim um sonho de São João Paulo II. Nunca antes um Papa tinha estado na terra de Abraão; a Providência quis que isto ocorresse agora, como um sinal de esperança, após anos de guerra e terrorismo e no meio de uma grave pandemia. Após esta visita, a minha alma está cheia de gratidão a Deus e a todos aqueles que a tornaram possível. Pude ver, nesta peregrinação, a esperança de abertura a um horizonte de paz e fraternidade, resumido nas palavras de Jesus que eram o tema da Visita: ‘Vós sois todos irmãos’. O povo iraquiano tem direito a viver em paz, a reencontrar a dignidade que possui. A resposta à guerra não é outra guerra. A resposta às armas não são outras armas. A resposta é a fraternidade”, garantiu o Papa, na audiência-geral de quarta-feira, 10 de março.

 

“Louvemos a Deus por esta visita”

Na biblioteca do Palácio Apostólico, nesta catequese sobre a viagem apostólica ao Iraque, Francisco recordou diversos momentos vividos neste país do Médio Oriente, deixando o convite à oração pela fraternidade e pela paz. “Encontrámo-nos e rezámos juntos, cristãos e muçulmanos, com representantes de outras religiões, em Ur, onde Abraão recebeu o chamamento de Deus. Mensagens de fraternidade emergiram do encontro eclesial na Catedral Siro-Católica de Bagdade, bem como desde Mossul e Qaraqosh, nas margens do Tigre, e nas duas Celebrações Eucarísticas em Bagdade e Erbil. Louvemos a Deus por esta visita, e rezemos para que o caminho da fraternidade e da paz persista no Iraque, no Médio Oriente e no mundo inteiro”, pediu o Santo Padre.

Também na saudação aos fiéis de língua portuguesa, o Papa pediu orações: “Saúdo cordialmente os fiéis de língua portuguesa. Peço que se unam a mim na gratidão a Deus por esta viagem ao Iraque e na oração pela paz e a fraternidade universal. Desça sobre vós a bênção de Deus!”.

 

texto por Diogo Paiva Brandão
A OPINIÃO DE
José Luís Nunes Martins
Aquilo que somos depende do que fazemos com o que recebemos. A nossa primeira responsabilidade será...
ver [+]

P. Manuel Barbosa, scj
Dialogar, escutar, discernir: três atitudes a marcar o processo sinodal iniciado em outubro de 2021 com as fases diocesana e nacional.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES