Lisboa |
Círio da Prata Grande na paróquia do Sobral da Abelheira
“Tal Mãe, tais filhos”
<<
1/
>>
Imagem

A paróquia do Sobral da Abelheira, na Vigararia de Mafra, recebeu a Imagem de Nossa Senhora da Nazaré, com o Cardeal-Patriarca a desejar que, daqui a um ano, todos os seus habitantes possam parecer mais como a Mãe de Jesus. O pároco, padre Paulo Gerardo, espera que este acontecimento, que já está a transformar a freguesia, seja um “tempo de evangelização”.

 

“Aquilo que mais peço neste momento é que, daqui a um ano, se possa dizer de cada um dos habitantes desta linda freguesia – Sobral da Abelheira –, aquilo que nós tantas vezes dizemos de outro modo: ‘Tal Mãe, tais filhos’. Ou seja, que ao longo deste ano de presença tão especial de Nossa Senhora, Mãe de Jesus e nossa Mãe, todos vós cresçais como filhos de Deus!”, desejou D. Manuel Clemente, na Missa que assinalou, no Domingo, 19 de setembro, a chegada do Círio da Prata Grande – 17 anos depois – à paróquia do Sobral da Abelheira. “Que todos vos pareçais mais com Ela, também neste caminho de fé, percebendo, como Ela foi percebendo, e cada vez mais e melhor, o que Jesus trouxe a este mundo, que a vida de Jesus é a nossa vida, como foi a vida de Maria”, prosseguiu o Cardeal-Patriarca.

Numa freguesia visivelmente engalanada para este acontecimento, D. Manuel Clemente manifestou “muita alegria” por constatar também “a alegria das pessoas, aquela alegria que se tem na visita da própria Mãe”. “Sendo a visita de uma Mãe que é do tamanho do Céu, imaginemos a dimensão da alegria que se tem! Estas são realidades que Deus põe no nosso coração. Isto ultrapassa a nossa previsão e nem nós próprios somos capazes de explicar de onde vem tanta alegria, tanto contentamento com estes acontecimentos”, reconheceu o Cardeal-Patriarca, reforçando o desejo inicial: “Que ao longo da nossa vida, em todas as suas vicissitudes e contradições, nós cresçamos na fé e no conhecimento de Jesus, como aconteceu com Maria”.

 

Alegria e ansiedade

O culto à Virgem de Nazaré é um dos mais antigos de Portugal e crê-se que o surgimento do Círio da Prata Grande tenha acontecido no século XVII, juntamente com outras romarias. Atualmente, este círio passa por 17 paróquias daquela região. Hoje com 33 anos, Patrícia Matias Pereira lembra-se da última vez que recebeu a Imagem na sua paróquia. “Pertencia ao grupo de jovens ‘Filhos da Luz’, da paróquia do Sobral da Abelheira, e, na altura, a responsabilidade dos jovens era tratar da distribuição das loas no percurso do Círio, desde São João das Lampas até aqui, e, depois, da quermesse”, recorda, ao Jornal VOZ DA VERDADE. “Não me apercebia do trabalho que tinham os outros colegas”, afirma Patrícia, hoje com o título honorífico de ‘Procuradora’ e de ‘1ª secretária’ da Comissão de Festas em honra de Nossa Senhora da Nazaré.

No dia 18 de setembro, a Imagem de Nossa Senhora da Nazaré foi entregue ao Sobral da Abelheira pela paróquia de São João das Lampas. No entanto, a preparação deste acontecimento começou muito antes, em 2015. “A ansiedade é sempre muita porque, à medida que os anos vão passando, nas procissões que se realizam em cada paróquia por onde passa o Círio da Nazaré, a confraria é organizada pela ordem da entrega da Imagem e vamos vendo, em cada entrega, o nosso lugar a passar para a frente. Quando começamos a ver que somos os da frente, então está iminente a chegada! É grande a alegria, mas também é grande a ansiedade”, reconhece Patrícia Matias Pereira.

 

Que seja “um ano de graça”

A não ajudar à festa esteve a pandemia que veio obrigar a significativas alterações de planos. “Tal como os colegas São João das Lampas, sofremos com as consequências da pandemia, que nos limitou muito a organização. Tínhamos preparado três planos para esta festa. A certa altura, já com os orçamentos pedidos, já com as pessoas faladas, com toda a logística preparada para um tipo de festa... De repente, deixou de ser assim e passou a ser outra coisa”, conta Patrícia que, apesar de existir alguma “frustração”, constata que, “nos últimos dias, com o embelezamento das ruas, com a montagem do arraial personalizado à nossa imagem, as coisas começaram a serenar, naquela serenidade mais interior, mais espiritual”. “Chegámos à conclusão de que nunca conseguimos controlar tudo, porque há sempre coisas que fogem ao nosso controlo”, lembra.

Apesar das limitações impostas pela pandemia, que obrigaram a reduzir ao essencial o que estava projetado para este acontecimento, Patrícia Matias Pereira acredita que isso pode ajudar a trazer, para aquela paróquia, “uma leitura mais ligada à espiritualidade, que é preciso recuperar”. “Notámos que, com a limitação de lugares nas Missas, e apesar de termos mudado para o salão paroquial, a frequência diminuiu. Portanto, vamos esperar que este seja um ano de graça para que consigamos também levar Nossa Senhora e que Ela nos traga o Filho, sobretudo àqueles que estão mais afastados”, deseja.

 

Imagem que transforma

O balanço dos primeiros dias de presença da Imagem de Nossa Senhora da Nazaré na paróquia do Sobral da Abelheira é “muito bom”, garante o pároco ao Jornal VOZ DA VERDADE. Para o padre Paulo Gerardo, “tem sido uma surpresa”, sobretudo por ver que o acolhimento desta Imagem “transforma, por estes dias, a paróquia num santuário”, onde as pessoas vão rezar e cumprir promessas. “E algumas das pessoas são de outras paróquias”, descreve este sacerdote, de 57 anos, que tem registado, em apenas três dias, “uma grande participação” da população.

O padre Paulo, que pela primeira vez recebe a Imagem de Nossa Senhora da Nazaré numa paróquia que tem a seu encargo, assinala, tal como a sua paroquiana Patrícia Matias Pereira, as dificuldades que foram sendo criadas na preparação dos festejos por causa da pandemia. “Foi uma preparação regular até 2019. Quando chegou a pandemia, vários eventos que estavam marcados para angariação de fundos foram cancelados”, conta o sacerdote, chegado a esta paróquia em 2017. A solução passou por “traçar três planos”, mas o “arrastar da pandemia” levou a organização a estipular uma data para tomar uma decisão. Em maio deste ano, afastou-se a ideia de uma festa mais popular, com artistas musicais conhecidos. A opção passou por apresentar a dimensão mais religiosa e “apostar também numa dimensão mais cultural, mostrando a história e a influência nas paróquias por onde passa o Círio da Nazaré”. “Os festeiros que estavam mais na retaguarda estavam na expectativa de se fazer uma festa semelhante à que estava pensada antes da pandemia e alguns até se desmotivaram bastante quando se aperceberam que não podíamos fazer a festa com os artistas, com aquilo que era habitual”, partilha. Também por este motivo, na opinião do padre Paulo Gerardo, a mobilização da paróquia “foi difícil”. “A paróquia do Sobral tem um núcleo de cristãos, com gente jovem, empenhada e convicta, mas a maior parte da população não pratica e até tem alguma indiferença. A festa, para muitos deles, é importante, mas não tanto pela devoção a Nossa Senhora, mas porque a vinda de artistas muito conhecidos põe a freguesia no mapa. Muita gente trabalha mais para essa dimensão e os que pensaram assim, não se empenharam muito”, lamenta.

 

Que seja evangelizador

O programa anual que assinala a presença da Imagem de Nossa Senhora da Nazaré na paróquia do Sobral da Abelheira ainda está a ser ultimado, mas o pároco revela que o objetivo passa por fazer chegar a Imagem a todos os lugares da paróquia. “Pensámos em valorizar a ida da Imagem a cada uma das capelas da paróquia, onde vai ficar uma semana. Além da oração do Terço, da Missa, devemos também fazer algumas catequeses. Depois, mais para diante, quando o tempo permitir, pensamos organizar, a partir de cada um dos lugares, uma peregrinação, a pé, até à Igreja Matriz, onde ficará a Imagem de Nossa Senhora da Nazaré. A expectativa da população é também que, durante este ano, se possa organizar uma ‘festa maior’, sem as limitações a que nos habituámos”, deseja.

O padre Paulo Gerardo não sabe qual o legado que o Círio da Prata Grande pode deixar na sua paróquia, mas, para já, partilha que este acontecimento o tornou “devoto de Nossa Senhora da Nazaré”. “É uma surpresa ver a paróquia transformada num santuário! O facto de as pessoas virem de longe para rezar à Senhora da Nazaré e para pagar promessas, torna a Imagem muito especial. O que será no futuro? Vamos ver... A nossa preocupação é que este tempo seja algo mais evangelizador. Queremos aproveitar este momento para passar uma mensagem que ajude à conversão de vida. É para isso que vamos trabalhar!”, aponta.

 

__________________


São João das Lampas despede-se da Imagem de Nossa Senhora da Nazaré

“Até 2037!”, lia-se nas faixas colocadas na paróquia de São João das Lampas nos momentos antes da entrega da Imagem de Nossa Senhora da Nazaré à paróquia do Sobral da Abelheira, no dia 18 de setembro. Numa ‘Mensagem de despedida’, a Comissão de Festas realça os frutos que foram recebidos, durante um ano, pela presença da Imagem naquela paróquia. “A Imagem foi entregue ao povo do Sobral da Abelheira, mas apenas a Imagem foi entregue. Connosco ficaram as experiências do tempo de preparação da sua estadia e tudo o que vivemos durante a mesma. Cada um sabe certamente aquilo que guarda no seu coração. E a grande prova que a Imagem fica, e que connosco fica a devoção e o carinho maternal de Maria é o terem-se constituído como grupo de trabalho com cerca de 60 elementos para preparar a sua receção, mesmo 17 anos passados”, salienta a nota enviada ao Jornal VOZ DA VERDADE.

A organização também refere que, num ano marcado pela pandemia, “existiram aspetos que poderiam ter corrido de melhor forma”, mas reconhece que serviram para não perder “a noção” de que aquele não se tratou de “um mero evento”. “Tocámos muitas vidas, marcámos a vida das pessoas neste ano, desde as crianças, aos jovens, aos pais e aos avós, que serão os jovens, pais e avós daqui a 17 anos. Tocámos também a vida daqueles que já não verão mais a Senhora da Nazaré na sua terra”, aponta.

texto e fotos por Filipe Teixeira
A OPINIÃO DE
Pedro Vaz Patto
L´Église peut-elle disparaitre? – é o título de um livro recentemente publicado pelo historiador...
ver [+]

Tony Neves
‘Comunhão, Participação, Missão’ são as três palavras-chave para a caminhada sinodal que o Papa Francisco propôs para a Igreja.
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES