CNE Região de Lisboa |
Núcleo Lisboa Ocidental
Um Núcleo da cidade
<<
1/
>>
Imagem

O Núcleo Lisboa Ocidental vai buscar a sua designação ao Patriarcado da Lisboa Ocidental pedido por Dom João V no século XVIII, e cedido por Bula Papal por Clemente XI em 1716. Atualmente o Núcleo tem 17 Agrupamentos ativos, 16 terrestres e um marítimo, não fosse Lisboa uma cidade portuária, entre as paróquias do centro histórico da cidade e as paróquias mais populosas da nossa cidade.

O Núcleo Lisboa Ocidental, que vai buscar a sua designação ao Patriarcado da Lisboa Ocidental pedido por Dom João V no século XVIII, e cedido por Bula Papal por Clemente XI em 1716, que dividia a cidade em duas partes: um Patriarcado com sede na Capela Real e um Arcebispado de Lisboa Oriental, com sede na Sé de Lisboa, é um dos dois Núcleos que estão implementados na área do Concelho de Lisboa – a Cidade de Lisboa.

O eixo imaginário que divide a cidade foi criado em 1998, a data de oficialização da criação do Núcleo é dia 24 de maio de 1998, mas só em 1999 o Núcleo Lisboa Ocidental é formalizado, sendo o seu primeiro Coordenador Paulo Couceiro, do Agrupamento 80 de Santa Maria de Belém (mais conhecido por “Cocas”). Deste Núcleo à data da sua fundação fazem parte 24 Agrupamentos de 24 paróquias da cidade.

Atualmente o Núcleo tem 17 Agrupamentos ativos, 16 terrestres e um marítimo, não fosse Lisboa uma cidade portuária, entre as paróquias do centro histórico da cidade e as paróquias mais populosas da nossa cidade. Somos cerca de 1300 escuteiros ativos e com vontade de mostrar que o escutismo na cidade é vivo e atual, acompanhando, não só a evolução da sociedade como também pelejando para uma Igreja mais sinodal e ativa como nos roga o Papa Francisco.

Vivemos com a dupla realidade do centro despovoado ou com as “novas famílias” e a periferia do centro superpovoado, que influencia não só a vidas comunitária paroquial, como a vida dos Agrupamentos. A vontade de ter mais, melhor escutismo e chegar a mais gente, faz-nos recriar ações para chamar mais, para incluir mais, e o caminho traçado pelo Papa Francisco da sinodalidade tem sido uma ferramenta que temos utilizado.

A “necessidade aguça o engenho” e por isso fomos o primeiro a testar um Agrupamento inter-paroquial, que serve duas paróquias, na Paróquia de Santos-o-Velho e na de Nossa Senhora da Lapa, o Agrupamento 996 da Estrela (nasceu da união do 888 da Estrela e do 996 de Santos-o-Velho), uma experiência que muito nos orgulha enquanto escuteiros (e católicos) e porque percebemos que o escutismo é local, mesmo que o local cresça e tenha uma maior amplitude social, mostra que podemos funcionar juntando comunidades e o melhor que cada uma tem.

O centro da cidade, e a cidade, enquanto capital metropolitana é alvo e, simultaneamente, ponto de partida para todas as tendências e correntes, tem sido esse também o trabalho realizado pelo Núcleo, no sentido de incluir todos, de apoiar os diferentes e ser pilar para os que se podem de alguma forma sentir fora ou que se sintam afastados, seja qual for o motivo: mais social, mais financeiro, ou outro.

O desafio sinodal é utilizado, não só nas discussões entre adultos, mas também nos fóruns entre escuteiros, designadamente na IV secção, os nossos caminheiros, e companheiros, têm sido pivots no debate sobre a diferença e lutando para que todos compreendamos que os diferentes são também parte. O Cenáculo do Núcleo Lisboa Ocidental tem levado propostas a discussões mais alargadas, como a Inclusão de Pessoas com Deficiência no Escutismo, como a criação de uma atividade sobre a Saúde Mental ou mesmo o debate, muito atual entre os jovens, sobre a identidade de cada um.

Outro dos desafios tem sido acompanhar os projetos do CNE e tentar implementá-los na nossa cidade, onde nos preocupa o ambiente urbano, o ambiente social, a vida na Igreja atual e para tudo as nossas atividades têm sempre o objetivo pedagógico de fazer os jovens pensar, debater, criar pontes, fazer chegar a opinião a quem de direito, como as Juntas de Freguesia ou a Câmara Municipal com quem vamos mantendo relações estreitas, não só nos Agrupamentos, como também no Núcleo.

Neste lado da cidade continuamos unidos por um melhor escutismo, uma melhor cidade e uma Igreja cada vez mais sinodal. 

 

[ Sabia que... ]

Pode saber mais sobre o Núcleo Lisboa Ocidental em:

www.facebook.com/CNELisboaOcidental

www.instagram.com/nucleo_lxoc

texto por Paulo Cuiça, Chefe de Núcleo, e Margarida Queiroz, Chefe Adjunta
A OPINIÃO DE
P. Manuel Barbosa, scj
No momento em que traço estas notas, o mundo anda em rebuliço: vastíssimos incêndios a ceifar vidas...
ver [+]

António Bagão Félix
Escreveu Miguel Torga na sua carta ao romancista e poeta brasileiro Ribeiro Couto (“Traço de...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES