Lisboa |
Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa
Missas com a presença de fiéis com “orientações” daqui a duas semanas
<<
1/
>>
Imagem

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) espera “tomar orientações” sobre as Missas com a presença de fiéis daqui por 15 dias. “Acompanhamos atentamente a situação da pandemia e confinamento geral, esperando que continue a evoluir favoravelmente para que seja possível retomar as celebrações presenciais nas comunidades cristãs. Dentro de 15 dias, a 9 de março como previsto, o Conselho Permanente voltará a reunir, e nessa altura contamos tomar orientações, em diálogo com as autoridades de saúde e de governo”, aponta uma informação, a propósito da reunião do Conselho Permanente da CEP, realizada esta segunda-feira, dia 22 de fevereiro.

 

Igreja na Europa reza pelas vítimas da pandemia

O comunicado recordou ainda a iniciativa quaresmal dos presidentes das Conferências Episcopais da Europa, que convidaram as pessoas a rezar pelas vítimas da pandemia, durante toda a Quaresma. “Estamos em sintonia com todas as Conferências Episcopais da Europa na rede de oração eucarística pelas vítimas da pandemia ao longo da Quaresma, em que cada país é convidado a celebrar a Santa Missa, num dia determinado, pelas mais de 770.000 pessoas que na Europa morreram por causa da Covid-19”, salienta o texto, lembrando que ao nosso país está destinado o dia 16 março, terça-feira da semana IV da Quaresma. “Assumindo Portugal esta iniciativa no dia 16 de março, todas as Dioceses e instituições da Igreja procurarão ter essa intenção bem presente na celebração eucarística, podendo algumas dessas celebrações ser transmitidas pela rádio e pelos meios digitais”, convidam a Igreja portuguesa.

Sobre a aprovação da despenalização da eutanásia e do suicídio assistido pela Assembleia da República, os bispos reafirmaram “a posição contra esta decisão desde sempre assumida pela Igreja”.

 

Nomeações de padres do Patriarcado

Do comunicado divulgado hoje há ainda a destacar as nomeações do padre José Luís Gonçalves da Costa, pároco de Paço de Arcos, coordenador diocesano das capelanias prisionais e capelão do Estabelecimento Prisional de Caxias, e do diácono José Farinha de Noronha e Andrade, colaborador da paróquia do Estoril e assistente espiritual e religioso do Estabelecimento Prisional do Linhó, como coordenador e coordenador-adjunto da Pastoral Penitenciária, respetivamente.

Já o cónego José Manuel dos Santos Ferreira, pároco de Santa Maria de Belém, foi nomeado assistente nacional da Legião de Maria.

texto por Diogo Paiva Brandão
A OPINIÃO DE
Pe. Alexandre Palma
Vivendo numa época pródiga em tantos progressos tecnológicos, talvez nos surpreenda verificar que a...
ver [+]

Pedro Vaz Patto
Grande clamor e indignação suscitou a proposta (entretanto retirada) da Comissão Europeia de aconselhar/proibir...
ver [+]

Visite a página online
do Patriarcado de Lisboa
Galeria de Vídeos
Voz da Verdade
EDIÇÕES ANTERIORES